fundo parallax
Eduardo Leisan

figureiro

Nome: José Eduardo Leite Santos
Nascido em: 28/04/66
Figureiro desde: 1974

Pensamento:
“Fazer arte é descobrir que quando achamos que sabemos tudo, descobrimos que podemos olhar o mundo de outra maneira e de outros ângulos...”

"Sei que vender minhas obras é preciso porque vivo disso, mas faço o que gosto e gosto do que faço, com dedicação e muito carinho por cada peça, e consequentemente tenho o reconhecimento de meu trabalho."

BIOGRAFIA

Eu quando criança vinha passar as férias de escola na casa de minhas tias, porque o quintal sempre foi grande com muitas árvores e como um bom garoto gostava de subir nas próprias.
Quando chegava ao final da tarde, não querendo brincar mais ia até o rancho que hoje é a oficina das minhas tias e ficava perguntando tia por que isso, por que aquilo, como se faz isso? e a tia com toda a calma ensinava a galinha tem bico e é assim que se faz, e o tempo foi se passando as peças que tinha feito das férias passadas tinham sido guardados por elas depois de pintadas e como sempre na casa de minhas tias os turistas vinham para conhecer e comprar e as minhas peças que também foi vendidas.
E comecei a ganhar algum dinheiro, mais tarde com meus 12 anos comecei a trabalhar fora e só nas horas vagas que eu podia fazer algumas peças, depois mais adulto trabalhei no comércio, fui metalúrgico e quando fiquei desempregado em 1988 comecei viver só de artesanato e daí em diante não parei mais e tenho alguns objetivos a alcançar, ser reconhecido em todo o Brasil, fora dele e conhecer um pouco da arte na Europa e mais precisamente a França e Itália e trazer experiência pra minha terra chamada Taubaté e unir o antigo com o novo resumindo, juntar a experiência dos antigos com as novas ideias e claro mostrar um pouco da cultura um pouco de Taubaté Eduardo Figureiro.

ATIVIDADES

Artista Figureiro

Taubaté, São Paulo

Como artísta figureiro, e mesmo antes de ser artista, ou poder afirmar que sou artista, eu já podia contar com a experiência dos trabalhos das minhas tias Edith, Luiza e Candida, posso afirmar que a minha escola foi com elas, e mais adiante fui me aperfeiçoando e aprendendo a observar, como ensinava o trabalho delas, e fui construindo o meu estilo.

Habilidades:
  • Pesquisa de argila mais adequada
  • Preparo de tintas a base de pigmentos
  • Modelagem totalmente artesanal
  • Inclusão de materiais diversos no trabalho
Experiência:
  • Participação em feiras no Brasil todo (dezenas)
  • Participação em exposições (centenas)

Professor de Artes

Vale do Paraíba, São Paulo

PORTIFOLIO

  • casa de roça com rancho
  • presepio16a
  • ch2
  • pavaocolher2

TRAJETÓRIA

  • Década de 90Participando de feiras, eventos, midia em geral

    Muitos convites para exposição e venda em espaços dos mais variados no Brasil todo, aparição na mídia em geral, eu vivi um período muito dinâmico em companhia das minhas TIAS, elas estavam em evidência e eu encantado com tudo aquilo.
  • Década de 80Comecei a sobreviver como artista

    Comecei a ganhar algum dinheiro, quando cheguei aos meus 12 anos, comecei a trabalhar fora e só nas horas vagas que eu podia fazer algumas pecinhas, e fui aprendendo. Depois mais adulto trabalhei no comércio, fui metalúrgico e quando fiquei desempregado em 1988 comecei viver só de artesanato.
  • Década de 70Minha infância

    As férias de escola passava na casa de minhas tias, porque o quintal sempre foi grande e gostava de brincar. Já expiava e perguntava muito sobre as figurinhas que elas faziam.

ATENDIMENTO